Tempestade tropical: Defesa Civil faz alerta à população e aulas são suspensas em cidades do sul da BA

Apesar da redução da velocidade dos ventos, aulas foram suspensas e energia em postes foi cortada nas cidades de Mucuri e Nova Viçosa.

Imagem mostra tempestade tropical próxima à costa brasileira — Foto: Rodrigo Cunha/Arte G1/Climatempo

Imagem mostra tempestade tropical próxima à costa brasileira — Foto: Rodrigo Cunha/Arte G1/Climatempo

Conforme a Marinha, a depressão tropical que se formou no litoral sul do estado apresentou, por volta das 9h de domingo (24), intensidade dos ventos de 65 km/h (35 nós) e foi reclassificada como tempestade tropical “Iba”. O previsto, inicialmente, era que o ciclone atingisse ventos de até 89 km/h no sul e baixo sul baiano.

“Nos preocupamos mais com os municípios de Nova viçosa e Mucuri, por conta da erosão costeira. Esses municípios vêm sendo afetados nos últimos 20 anos [pela erosão]. Mucuri já perdeu nove ruas e duas praças. De quinta-feira [21] até hoje, já se perdeu quatro a cinco metros de faixa de praia. Qualquer anormalidade, aumento na velocidade do vento, representa risco grande”, explicou o superintendente da Defesa Civil.

Paulo Sérgio aproveitou para chamar atenção da população sobre os riscos da tempestade. “Pedimos que a população evite, caso os ventos acelerem hoje, ficar debaixo de árvores, próximo a muros e postes. Procure ficar em suas casas, feche as portas, janelas”, alertou.

O fenômeno natural é monitorado pela Marinha por meio do Centro de Hidrografia (CHM) e em colaboração com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) e o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/INPE).

Chuva em Salvador

O céu nublado e as pancadas de chuva predominam em Salvador desde a última quinta-feira (21). Os efeitos da chuva foram sentidos pela população, principalmente na noite da última sexta-feira (22) e manhã desta segunda-feira (25).

Nesta manhã desta segunda, a avenida ACM ficou alagada na altura do Hospital Tereza Lisieux. Não há registro de feridos. Por conta do acúmulo de água, veículos e pedestres ficaram ilhados na avenida. Foi preciso ajuda do Corpo de Bombeiros para a retirada dos passageiros dos ônibus e ocupantes dos veículos de passeio.

A meteorologista Cláudia Valéria, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), explicou que a chuva que caiu na capital baiana não é a tempestade tropical, mas que o fenômeno natural influencia nas chuvas.

“Diretamente essa tempestade não tem relação com a chuva. É preciso destacar que a tempestade não está em Salvador, ela deve atuar mais no sul do estado, mas por ela [a tempestade] ser um sistema de baixa pressão intenso, favorece a convergência de umidade que provoca a chuva”, explicou.

Ainda segundo Valéria, entre 0h e 8h desta segunda-feira, choveu 38,6mm.

Avenida ACM ficou alagada durante chuva forte em Salvador — Foto: Alberto Luciano/TV Bahia

Avenida ACM ficou alagada durante chuva forte em Salvador — Foto: Alberto Luciano/TV Bahia