‘Ônibus estalava durante socorro’, relembra major do Corpo de Bombeiros sobre resgate de vítimas

Homem de 54 anos teve braço amputado. Grávida foi transferida e passa bem. Coletivo caiu em ribanceira na noite de quinta-feira, em Salvador.

O major Ramon Diego, que coordenou o trabalho do Corpo de Bombeiros durante o resgate a vítimas no acidente com um ônibus que despencou de uma ribanceira, em Salvador, relatou que se ouviam estalos na estrutura do coletivo durante o atendimento no local, e que havia o risco de um novo tombamento.

Para evitar que a situação se agravasse, os bombeiros estabilizaram o ônibus, ainda tombado na pista, com uma viatura da corporação, pois o veículo balançava muito com a movimentação dos socorristas.

Bombeiros usaram viatura para escorar ônibus durante resgate das vítimas — Foto: Reprodução/TV Bahia

Bombeiros usaram viatura para escorar ônibus durante resgate das vítimas — Foto: Reprodução/TV Bahia


“Avaliando o risco desse ônibus ser projetado para a via, a única forma segura de estabilizar aquela carga foi colocar a viatura no fundo [do ônibus], porque o manejo para remover as vítimas que estavam embaixo dos escombros e as vítimas que estavam em ordem final de saída, começou a oscilar o peso e a estrutura [do ônibus] começou a correr, em virtude até dos fluidos que estão na pista. Então, a gente utilizou a própria viatura para fazer o anteparo para esse veículo não tombar pra via”, explicou o major Ramon Diego.

“O ônibus caiu em uma parte escorregadia e inclinada. Entramos no coletivo para retirar as vítimas e quando estávamos lá dentro, a gente ouvia os estalos. A gente tinha que correr para que o ônibus não tivesse um novo tombamento. Nossa preocupação era ele virar com as vítimas e a equipe lá dentro, mas conseguimos retirar todos com vida”, completou o major.
Ocorrência será encaminhada para a 11ª Delegacia Territorial, de Tancredo Neves, que expedirá as guias de perícia. Laudos periciais são produzidos pelo DPT e levam, em média, 30 dias para ficarem prontos. O ônibus envolvido no acidente foi encaminhado para o pátio da empresa.
Acidente

O acidente aconteceu na noite de quinta-feira (13), quando o ônibus caiu de uma ribanceira e tombou na região do Acesso Norte. Vinte e sete pessoas ficaram feridas. Além do Corpo de Bombeiros, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) integrou a equipe de salvamento. Treze ambulâncias do Samu foram encaminhadas ao local do acidente. Vinte bombeiros participaram da ação.
Segundo o major Diego Ramon, o momento mais tenso do salvamento foi durante a retirada de um homem de 54 anos que teve o braço amputado. Seis bombeiros, incluindo ele, precisaram ficar dentro do ônibus para salvar o homem. A vítima ficou consciente durante o tempo todo do socorro.
Ônibus tomba na região do Acesso Norte e deixa feridos em Salvador — Foto: Alan Oliveira/G1



Ônibus tomba na região do Acesso Norte e deixa feridos em Salvador — Foto: Alan Oliveira/G1

“Tivemos que retirar ele [o homem] pelo teto do ônibus. Apesar do ferimento, ele ficou consciente. Ele viu que a gente estava lá trabalhando para a retirada dele. Retiramos todas as vítimas e depois ficamos nele”, contou.

De acordo com Ivan Paiva, coordenador de urgência e de emergência do Samu, o homem foi levado por uma ambulância do serviço para o Hospital Geral do Estado (HGE) e tem estado de saúde estável.

Ônibus tomba na região do Acesso Norte e deixa feridos em Salvador — Foto: Alan Oliveira/G1

Ônibus tomba na região do Acesso Norte e deixa feridos em Salvador — Foto: Alan Oliveira/G1

Das 27 vítimas do acidente com o ônibus 18 foram socorridas pelo Samu. Cinco foram levadas para o Hospital Santa Isabel, uma para o Hospital Jorge Valente, cinco para o HGE, duas para o Hospital Municipal de Salvador e cinco para o Hospital Ernesto Simões. Não há detalhes do estado de saúde delas.

Entre as vítimas socorrida pelo Samu. Está uma mulher grávida de oito meses. Ela foi transferida para a maternidade Tsylla Balbino, na Baixa de Quintas. A mulher e o beb~e passam bem e seguem em observação.

“Ela ficou aqui [no HGE], passou por avaliação e ficamos sabendo que está bem. Ela foi transferida para a maternidade para acompanhamento da gravidez e tem estado de saúde estável”, explicou Ivan Paiva.

Além das 18 pessoas socorridas pelo Samu, uma recebeu atendimento da Vitalmed, duas na ambulância da ViaBahia e seis dos bombeiros. Também não há detalhes do estado de saúde das vítimas.

Além das cinco pessoas levadas para o HGE pelo Samu, outras seis estão no mesmo hospital, mas não há detalhes em quais ambulâncias elas foram levadas. No total, 11 pessoas foram encaminhadas para o HGE, entre elas uma criança de dois anos e a mãe dela, de 24 anos.

As vítimas internadas na unidade de saúde tem 25 e 64 anos.

  • SALVADOR