ACM Neto afirma que filas para educação infantil de 4 a 5 anos serão zeradas até 2019

ACM Neto afirma que filas para educação infantil de 4 a 5 anos serão zeradas até 2019

Declaração do prefeito ocorreu em evento que marca reconstrução da escola municipal no Bom Juá

O prefeito ACM Neto assinou nesta quinta-feira (22) a ordem de serviço que marca o início das obras do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Fruto do Amanhã, na comunidade do Marotinho, bairro do Bom Juá, em Salvador.

O gestor garantiu que a nova escola vai ter o dobro das vagas oferecidas às crianças, de 120 para 240, o que representa uma oportunidade para os pais de alunos entre 2 e 5 anos. “Todo esse trabalho é para assegurar um futuro melhor para as crianças”, disse.

ACM Neto também destacou que os moradores devem esquecer a imagem “da antiga escola de pré-moldado e passar a ver uma escola moderna, que não vai deixar nada a desejar para qualquer outra particular da cidade”.

Ainda segundo o prefeito, até janeiro de 2019, todas as filas de espera por vagas da educação infantil de 4 a 5 anos serão zeradas na capital, em razão da implantação do Projeto Pé na Escola.

“Quando cheguei, Salvador oferecia 18 mil vagas da educação infantil e hoje são 44 mil vagas – em pouco mais de 5 anos. Ao todo, foram construídas mais de 30 novas escolas”.

Com investimento de aproximadamente R$ 3,3 milhões e área total de 1.171,13 m², a nova unidade de ensino terá oito salas de aula, parque infantil, brinquedoteca, refeitório, cozinha, depósito de merenda e de material de limpeza, lavanderia e espaços para coordenação, entre outros. Enquanto o CMEI estiver em construção, as aulas são realizadas no Complexo Educacional do Retiro. Um ônibus transporta estudantes e pais diariamente e de forma gratuita do CMEI até o Complexo.

Esta é a segunda das 16 unidades escolares que serão demolidas e reconstruídas pela administração municipal. Para a demolição e a construção dos novos equipamentos públicos, a gestão municipal vai investir R$ 96 milhões. Desse total, R$ 69 milhões são do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão federal responsável pela educação básica do país, e R$ 27 milhões como contrapartida do município.

Decisão revogada
Na noite desta quarta-feira (21), o prefeito ACM Neto revogou a decisão da Secretaria Municipal de Educação quanto ao cancelamento da matrícula em tempo integral para crianças de 4 a 5 anos. De acordo com ele, “a equipe técnica da secretaria se equivocou ao expedir a determinação e talvez tenha faltado sensibilidade”.

O prefeito destacou que tomou a decisão pensando exclusivamente nas famílias que já estão programadas e com rotinas preparadas para ter um filho em educação integral. “A gente vai manter as matrículas em tempo integral para as crianças de 2 e 3 anos e toda criança de 4 e 5 anos que já estiver matriculada neste formato vai permanecer. Só muda para as novas matrículas”, explicou.

ACM Neto também comentou detalhes do Projeto Pé na Escola e disse que, “se for necessário, a prefeitura vai comprar vagas em escolas particulares, porque nenhuma criança da educação infantil de Salvador vai ficar fora da sala de aula em 2019”. O programa, voltado para crianças de baixa renda, entre 4 e 5 anos, pagará a mensalidade para 10 mil crianças matriculadas em unidades privadas e bancadas pelos pais. O teto da mensalidade paga pela prefeitura será de R$ 260 a partir do ano letivo de 2019.

Alívio
A vendedora e moradora do bairro de Bom Juá, Maria de Oliveira Sá, 32 anos, contou ao CORREIO que ficou aliviada com a manutenção da vaga em tempo integral. “Sou mãe de um menino de 4 anos e, se ele precisasse deixar os estudos em dois turnos, minhas vida iria virar ao avesso”.

Ao lado de Maria estava Luciano, que também tem um filho matriculado na rede municipal de ensino. “Meu filho ainda tem 3 anos e tem o direito à educação em tempo integral. Mas, essa decisão do prefeito me tranquilizou, porque eu preciso pensar no futuro, tanto meu, de prover a casa, quanto dele, que merece uma educação de qualidade e completa”.

Rumores
Quanto ao alarde causado pela decisão do fim do tempo integral divulgada pelo secretário Bruno Barral, que está em viagem oficial, ACM Neto foi taxativo: “não vai haver exonerações, porque a palavra final é minha. Sou leal a minha equipe e minha equipe é leal a mim. Eu não me levo pela especulação de ninguém. Quem decide se secretário fica ou não na prefeitura sou eu e eu não abro mão disso”.

Para Neto, o erro da equipe pedagógica da Smed não vai “colocar a cabeça de ninguém à prova” e a revogação foi feita, porque ele se “coloca no lugar dos outros” e não teria como presenciar o desesperos de pais, que têm vidas organizadas a partir da rotina de uma filho que estuda em tempo integral.

CMEIS e escolas a serem reconstruídas
1 – Centro Municipal de Educação Infantil Angelina Rocha de Assis – Lobato

2 – Centro Municipal de Educação Infantil Antônio Pithon – Nova Brasília de Valéria

3 – Centro Municipal de Educação Infantil Calabar – Calabar

4 – Centro Municipal de Educação Infantil de Plataforma – Plataforma

5 – Centro Municipal de Educação Infantil Eloyna Barradas – Ribeira

6 – Centro Municipal de Educação Infantil Fruto do Amanhã – Bom Juá

7 – Centro Municipal de Educação Infantil Maria da Conceição Costa – Jardim Cruzeiro

8 – Centro Municipal de Educação Infantil Maria Rosa Freire – Palestina

9 – Centro Municipal de Educação Infantil Mário Altenfelder – Lobato

10 – Centro Municipal de Educação Infantil Nova Sussuarana – Sussuarana

11 – Centro Municipal de Educação Infantil Raul Queiroz – São Cristóvão

12 – Centro Municipal de Educação Infantil Yolanda Pires – Fazenda Grande do Retiro

13 – Escola Municipal do Pau Miúdo – Pau Miúdo

14 – Escola Municipal Engenho Velho da Federação – Engenho Velho da Federação

15 – Escola Municipal Francisco Mangabeira – São Caetano

16 – Escola Municipal Roberto Correia – Pau da Lima

*Com supervisão da chefe de reportagem Perla Ribeiro

Comentar

Seu endereço de email não será publicado.Campos marcados são obrigatórios *

*