Homem que matou sogra e feriu namorada tem prisão preventiva decretada

Homem que matou sogra e feriu namorada tem prisão preventiva decretada

Crime aconteceu em Feira de Santana; vítima foi morta ao tentar defender a filha

Assassino confesso da sogra, Fábio de Jesus Silva, 30 anos, teve a prisão em flagrante convertida para preventiva, na tarde desta quarta-feira (7), durante audiência de custódia na Vara do Júri de Feira de Santana. Fábio matou a facadas Antônia Nunes de Jesus, 44, mãe de sua namorada, após uma discussão dentro de uma casa no bairro do Jardim Cruzeiro, na noite de terça-feira (6).

A decisão pela manutenção da prisão foi assinada pela juíza Márcia Simões Costa, que considerou que, embora tenha “bons antecedentes criminais e emprego fixo, apenas isso não pode garantir a Fábio o direito à liberdade”, porque “não se pode desconsiderar a gravidade absurda do fato por ele praticado”, diz a decisão do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA).

Conforme informações preliminares da Polícia Civil, Antônia tentava defender a filha, Kátia de Jesus Silva, 19, quando foi atingida pelo genro. Tudo aconteceu na casa da família, localizada na Rua Itambé. O casal estava junto há sete anos.

Kátia também foi ferida com os golpes de faca. Antônia, que foi atingida por golpes no tórax e braço, morreu no local. Já a filha teve ferimentos leves no braço e foi levada por populares para o Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA). Não há informação do estado de saúde da jovem.

Prisão
O homem conseguiu fugir, mas foi encontrado por policiais militares que faziam ronda na região. Fábio foi preso em flagrante enquanto bebia em uma barraca localizada na Praça da Matriz.

Conforme o titular da Delegacia de Homicídios de Feira de Santana, delegado Fabrício Linard, Fábio contou, em depoimento, que a sogra o “perturbava há anos”.

“Ele se mostrou arrependido, mas disse que depois de não aguentar mais, entrou em casa, pegou a faca e furou ela”, relatou o delegado.

O corpo de Antônia Nunes de Jesus foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT). Segundo vizinhos, o acusado alegou que a namorada e a mãe dela o xingavam muito e que, por conta disso, ele acabou ‘perdendo a cabeça’. “A conversa aqui na rua ficou essa. Eles sempre batiam boca, mas nunca imaginamos que ia chegar nessa situação”, relatou um morador ao CORREIO.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado.Campos marcados são obrigatórios *

*